Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4
Acessibilidade 5 Alto contraste 6

Vereadores comentam sobre interdição do hospital

Publicado em 20/12/2019 às 19:31 - Atualizado em 20/12/2019 às 19:31

No livro do Tombo da Paróquia São Jerônimo há escritos do padre Luis Heinem que o Sindicato dos Trabalhadores Rurais, tendo liderado a compra do hospital São Roque em 1971, conseguiu através do Funrural diversos melhoramentos: assistência médico-hospitalar, gabinete dentário com dentista pago, aposentadoria dos colonos acima de 65 anos, mesa cirúrgica, bolsas de estudo. Em julho iniciou a Fundação Hospitalar, com quotas de C$ 600,00 por associado, para construir o prédio de material. Em maio foi inaugurado o novo hospital, que é o que funciona até hoje no município: Fundação Médico Assistencial do Trabalhador Rural de Caxambu do Sul. 

Em pesquisa, Jussara Corrêa, Luiz Fernando Capelezzo, Rafaela Rolim de Moura e Patrícia Lima apuraram que as terras em que hoje se localiza o atual hospital foram doadas por Cristiano Perozza e que para pagar médico foi realizado até baile. A ausência de políticas públicas de saúde fazia com que a comunidade, em especial quem participava da administração do hospital, sempre tinha que encontrar saídas para os problemas existentes. Todos os atendimentos na época eram realizados no hospital, pois não havia Posto de Saúde.

Nos últimos anos o hospital vem enfrentando diversas dificuldades financeiras e a comunidade continua auxiliando para mantê-lo. Seja com jantas, ação entre amigos ou por doações através das contas de energia elétrica. Há vários anos a luta da população caxambuense é para manter o hospital aberto, atendendo os munícipes de Caxambu do Sul, Planalto Alegre e Guatambu. Nesta manhã de sexta-feira (20/12), novamente a população se uniu, pois uma ação da Vigilância Sanitária Estadual visava interditar o hospital. Mas através da mobilização, bem como em reunião entre coordenação e conselheiros do hospital, administração municipal, representantes da vigilância e jurídico das duas partes chegaram a decisão de manter as urgências e emergências no atendimento, porém as internações não serão possíveis.

O assunto foi tema na sessão da Câmara desta sexta-feira e estarão disponíveis no site www.camaracaxambudosul.sc.gov.br. Os vereadores lamentaram a ação, reforçando a importância que o hospital tem para a população.